http://www.imprensaregional.com.pthttp://www.imprensaregional.com.pt/tvs
Diretor: Sérgio Silva (tvs@sapo.pt) | Última Atualização: 07-09-2017
logótipo
Publicidade
Edição:
Pesquisa:
| Lousada
Dívida de Lousada diminuiu
05/05/2017, 13:47

Decorreu na última sexta-feira mais uma sessão da Assembleia Municipal, com 18 pontos da ordem do dia, destacando-se os documentos de prestação de contas do Município.


Pedro Machado:
"Já dei indicações aos outros Municípios e não permitirei que o Aterro de Lustosa receba mais lixo para além da data estipulada"


No período antes da ordem do dia, Sandra Silva (Coligação Lousada Viva) questionou o Presidente de Câmara sobre a questão do Aterro de Lustosa continuar ou não, a receber lixo dos concelhos de Paços de Ferreira e Felgueiras.
Na resposta, Pedro Machado afirmou que nas reuniões intermunicipais já deu indicações expressas que não permitirá que a recepção do lixo destes concelhos continue para além do prazo já estipulado, sendo que é a Paços de Ferreira que compete, numa lógica de rotatividade, criar um aterro. Pedro Machado frisou que esta sua posição ficou bem assente e lavrada em ata nas reuniões da Ambisousa conjuntamente com os outros dois municípios.
No primeiro ponto, relativo à interpelação ao Presidente de Câmara, Sandra Teixeira (PS) congratulou o Município pela intervenção na rede viária e nos sintéticos que se encontra a efectuar nas freguesias do concelho, dando especial destaque para a iniciativa Plantar Lousada que já resultou no envolvimento de centenas de pessoas e associações, incluindo os próprios Vereadores e Presidente de Câmara que deitarem mãos à obra e plantaram em conjunto mais de 5000 árvores no concelho.


José Gonçalves (PSD/CDS-PP):
"Abstemo-nos porque estas não são as nossas contas"


No ponto 2, o debate em torno da prestação de contas tornou-se mais ativo, sendo que por parte do PSD/CDS coube a José Gonçalves intervir, referindo que as contas revelavam uma taxa de execução bem inferior ao ano anterior. José Gonçalves acusou ainda o executivo municipal de eleitoralismo, porque na sua opinião diminuiu propositadamente o investimento municipal em 2016 para que em 2017 pudesse investir em força. Acrescentou ainda que estas não eram as contas que o PSD/CDS concretizariam se fossem poder, pelo que se iriam abster.


João Ferro (PS):
"O endividamento diminuiu em todos os prazos e é isso que custa ouvir à oposição"


João Ferro (PS) relatou uma série de pontos positivos presentes nas contas, com particular destaque para a posição do Revisor Oficial de Contas (ROC) que reiterou a "boa capacidade de financiamento interno da CM Lousada", "a despesa com pessoal diminuir apesar da reposição salarial" e o endividamento ter "diminuído a todos os níveis: curto, médio e longo prazo".


Nelson Oliveira (PS):
"Ainda bem que o PSD fala sobre as contas nesta AM, porque na reunião de Câmara, os seus vereadores nada disseram..."


Nelson Oliveira (PS) congratulou José Gonçalves por ser o único membro do PSD a falar sobre as contas, já que na reunião de câmara, os vereadores do PSD quando tiveram oportunidade nada disseram. Recusou ainda a crítica de José Gonçalves relativamente ao investimento municipal em 2017, relembrando que o maior investimento da autarquia foi feito em 2014/2015 com a construção de 7 centros escolares.
Para o membro da bancada do PS, a Coligação não quer admitir as boas contas do Município tentando desta vez, sem sucesso, falar em eleitoralismo quando os dados do Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses provam que o maior investimento municipal da CM Lousada foi feito a meio do mandato e não no fim.


Pedro Machado
"As contas provam que reduzimos a dívida desde o início do mandato e ainda assim transferimos muito mais dinheiro para as Juntas de Freguesia e associações locais"


Na intervenção do Presidente da Câmara reforçou o compromisso com as boas contas como imagem do seu executivo, alertando sempre para as dificuldades com que se depara o Município no dia-a-dia, mas tentando sempre gerir com contenção.
Pedro Machado realça ainda que conseguiu diminuir ano após ano a divida da autarquia e aumentar substancialmente as transferências para as Juntas e Associações.


José Gonçalves (PSD/CDS-PP):
"Este Plano Estratégico Educativo Municipal devia ser feito no início do mandato.
Se liderarmos a Câmara ele será anulado"


Aprovados os outros pontos a votação, o debate "aqueceu" na discussão do Plano Estratégico Educativo Municipal. Um plano estratégico educativo elaborado pela Câmara Municipal de Lousada, Universidade Católica, intervenientes locais ecomunidade escolar Lousadense.
José Gonçalves (Coligação Lousada Viva) criticou o executivo por só concretizar este plano a 5 meses do final do mandato. Referiu ainda que é um plano cheio de intenções mas com poucas conclusões e que não reflecte um rumo. Para o membro da bancada do PSD, se o seu partido vencer as eleições, este plano acaba.


Fausto Oliveira  (PSD/CDS-PP):
"Documento apresenta uma série de lacunas e não reflete a intervenção e opinião das Juntas"


Fausto Oliveira criticou o documento apresentado uma vez que não está vertida a opinião das Juntas de Freguesia. Lamentou que as Juntas de Freguesia sejam sempre requisitadas para colaborarem no dia-a-dia das Escolas, mas não tiveram um papel fundamental neste plano.


Nelson Oliveira (PS):
"O plano foi elaborado com os contributos de vários intervenientes apartidários, com conhecimento
de causa da realidade escolar lousadense"


Nelson Oliveira rebate as críticas ao Plano Estratégico Educativo Municipal afirmando que o documento foi elaborado durante vários meses, ouvindo vários intervenientes que nada tem a ver com a vertente partidária e, por isso, tem uma visão transversal e heterogénea do sistema educativo e dos seus intervenientes.


João Ferro (PS):

"É um desrespeito para todos aqueles que trabalharam na elaboração deste documento o PSD afirmar que anulariam este plano"

 

Mediante as palavras da oposição, João Ferro afirmou ser um desrespeito para com todos aqueles que trabalharam afincadamente na elaboração do documento e julgar apenas uma visão partidária deste.

António Augusto Silva (Vereador da Educação):
"O documento foi supervisionado pela Universidade Católica e contou com a participação ativa dos diretores de escola, associação de pais e instituições locais"


Na intervenção destinada ao executivo municipal, António Augusto Silva esclareceu as dúvidas levantadas, aproveitando para informar que diversos intervenientes foram ouvidos de várias formas e, os Presidentes de Junta, foram auscultados através de inquéritos, não havendo qualquer problema em contribuir de uma forma mais aprofundada caso o pretendessem.
O Vereador da Educação realçou ainda o caracter independente desta publicação, não havendo qualquer dúvida sobre a credibilidade da Universidade Católica na condução deste processo e de todos os responsáveis educativos do concelho, alguns deles com décadas de experiência profissional nas escolas de Lousada.


Lousada Século XXI com contas positivas


Apesar de não ter havido qualquer intervenção na Prestação de Contas da Lousada Século XXI, o TVS sabe que a empresa municipal gestora das Piscinas apresentou um resultado positivo de 88.115,11€ no ano de 2016.


Empresas: Projetos de Interesse Municipal e Interesse Público

 

Foram ainda aprovados dois novos Projetos de Interesse Municipal. O programa de incentivos fiscais e promoção do emprego da Câmara Municipal de Lousada, conta agora com a adesão da FAMO e ARTEMIS PORTUGAL (uma nova empresa que se encontra a ser construída na Zona Industrial de Lustosa). Quanto ao Reconhecimento de Interesse Público Municipal, a aprovação foi feita a cinco empresas.


Partilhar:
Comentários
Não existem comentários.
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
This website is ACAP-enabled