http://www.imprensaregional.com.pthttp://www.imprensaregional.com.pt/tvs
Diretor: Sérgio Silva | Última Atualização: 23-11-2017
logótipo
Publicidade
Edição:
Pesquisa:
Newsletter:
Área do Subscritor:
| Paços de Ferreira
Paços de Ferreira: Passos e Portas evitam protesto de lesados do BES condicionado pela GNR
27/09/2015, 00:35


Passos Coelho e Paulo Portas mudaram, sábado, um percurso de campanha para evitar um protesto de lesados do BES que provocou alguns momentos de tensão com apoiantes da coligação PSD/CDS-PP e foi condicionado por militares da GNR.
O que estava previsto era que os presidentes do PSD e do CDS-PP subissem a um coreto na Praça Dom Luís, em Paços de Ferreira, para falar a um microfone. Isso mesmo foi anunciado repetidamente no local. Ao lado desse coreto, concentrava-se um grupo dos chamados lesados do Banco Espírito Santo (BES), que protestavam com apitos e buzinas e queriam ser ouvidos pelo primeiro-ministro.
Militares da GNR, alguns dos quais do Destacamento de Intervenção, continham os cerca de 40 manifestantes - muitos dos quais declaravam ser da área política da coligação PSD/CDS-PP - e separavam-nos dos militantes e apoiantes que erguiam bandeiras azuis e cor de laranja. De repente, estes últimos mudaram-se para a ponta oposta da praça, onde afinal tinham chegado Passos e Portas, longe dos lesados do BES, que não conseguiram ser ouvidos.
Os manifestantes tentaram avançar em direção à outra ponta da praça, junto à igreja, onde estavam o primeiro-ministro e o vice-primeiro-ministro, mas a meio do jardim a GNR colocou-se novamente à frente deles.
Nesse lugar, um dos manifestantes esteve alguns minutos em diálogo com o assessor de imprensa do PSD José Mendonça, e queixou-se de ter sido impedido de passar por um elemento das forças de segurança: "Agarrou-me aqui, apertou-me, eu ia pela rua".
"Somos pessoas de bem. Quase todos são PSD, militantes, presidentes de junta do PSD, não se faz isto, é uma vergonha, o senhor primeiro-ministro sabia perfeitamente que ia ter este problema para as eleições", dizia este homem para o assessor de imprensa do PSD. "Não está a falar com comunistas nem nada", acrescentou.
Em resposta, José Mendonça recordou-lhe que o primeiro-ministro já tinha falado com ele noutra ocasião. "Falou. Mentiu-me", retorquiu o homem. "Não mentiu, eu estava lá. Disse que não estava nas mãos dele, mas que ia tentar ajudar", contrapôs o assessor de imprensa do PSD.
O manifestante referiu que Passos prometera "criar um organismo diferente porque o Carlos Costa [governador do Banco de Portugal] e o presidente da CMVM [Comissão do Mercado de Valores Mobiliários] não se entendiam", e perguntou: "O que é que ele tem feito?".
No início da concentração, outro membro deste grupo de lesados do BES declarava ao megafone que Passos Coelho era "a pessoa indicada para ajudar os lesados do papel comercial" e manifestava-se convicto de que "este é um Governo que vai ajudar os lesados do papel comercial".
Um outro manifestante, em diálogo com dois apoiantes com bandeiras da coligação Portugal à Frente, dizia-lhes: "Nós não somos contra o partido. Somos pelo partido, a maioria".

Partilhar:
Comentários
Não existem comentários.
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Ficheiros
This website is ACAP-enabled