http://www.imprensaregional.com.pthttp://www.imprensaregional.com.pt/tvs
Diretor: Sérgio Silva | Última Atualização: 23-11-2017
logótipo
Publicidade
Edição:
Pesquisa:
Newsletter:
Área do Subscritor:
| Nacional
PSD/CDS-PP fazem governo minoritário, Costa contestado no PS
05/10/2015, 03:54

PSD e CDS-PP venceram, sem maioria absoluta, as legislativas de domingo, numas eleições em que a CDU sobe ligeiramente, Bloco de Esquerda foi o que mais subiu e António Costa ficou sob fogo com a derrota do PS.

No final da noite eleitoral, ao lado do seu parceiro de coligação, Paulo Portas, líder do CDS-PP, o presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, afirmou que os dois partidos pretendem negociar rapidamente um "programa de Governo" e admitiu entendimentos com o PS no parlamento para fazer reformas como a da Segurança Social. Portas prometeu que a coligação saberá "ler e respeitar" a ausência de maioria absoluta.

No PS, apesar da derrota, António Costa não deixa a liderança - "manifestamente, não me vou demitir" -, embora vários dirigentes socialistas, como António Galamba e António Braga, tenham exigido a sua demissão. Na terça-feira, os socialistas vão reunir a sua comissão política nacional, seguindo-se uma reunião do grupo parlamentar.

Sobre a atitude quanto ao novo Governo, António Costa afirmou que os socialistas querem afirmar as suas propostas, mas recusou uma "maioria do contra".

Uma das novidades da noite eleitoral foi a eleição de um deputado do partido Pessoas-Animais Natureza (PAN), André Silva, com 1,39% dos votos.

Fora do parlamento ficaram alguns dos novos partidos, como o Livre/Tempo de Avançar, Agir e Partido Democrático Republicano (PDR).

Apesar da vitória, PSD e CDS (38,55%) perderam cerca de 722 mil votos relativamente às legislativas de 2011, quando concorreram separados. No total, a coligação tem 104 deputados (incluindo os dos Açores e Madeira, onde concorreram separados) - 86 do PSD e 18 do CDS.

O PS aumentou em votos e deputados relativamente a 2011, passa de 73 para 85 deputados, mas ficou longe da vitória.

A CDU, coligação do PCP com o PEV, aumentou ligeiramente a votação e mais um deputado (17), mas ficou atrás do Bloco de Esquerda, que passou de oito para 19 deputados.

A abstenção nas eleições de domingo ficou nos 43,07%, a maior de sempre registada em legislativas, e quando faltavam atribuir quatro mandatos de deputados respeitantes aos círculos da emigração. A abstenção em 2011 situou-se nos 41,9%.

 

 

É o seguinte o quadro completo dos resultados faltando a votação dos círculos eleitorais da emigração, de acordo com as votações divulgadas pela Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna - Administração Eleitoral:


Freguesias apuradas: 3092

Freguesias por apurar: 0

Concelhos apurados: 308

Concelhos por apurar: 0

Consulados apurados: 0

Consulados por apurar: 24

Mandatos atribuídos: 226

Mandatos por atribuir: 4


Lista % - Votos - Mand.

PPD/PSD.CDS-PP - 36,83% - 1979132 - 99

PS - 32,38% - 1740300 - 85

B.E. - 10,22% - 549153 - 19

PCP-PEV - 8,27% - 444319 - 17

PPD/PSD - 1,51% - 81054 - 5

PAN - 1,39% - 74656 - 1

PDR - 1,13% - 60912

PCTP/MRPP - 1,11% - 59812

L/TDA -  0,72% - 38958

PNR - 0,50% - 27104

MPT - 0,42% - 22384

PTP-MAS - 0,38% - 20690

NC - 0,35% - 18695

PPM - 0,28% - 14799

JPP - 0,26% - 14196

PURP -  0,26% - 13739

CDS-PP - 0,14% - 7536

CDS-PP.PPM - 0,07% - 3654

PPV/CDC - 0,05% -  2658

PTP - 0,03% - 1748


Outros dados das eleições Legislativas 2015:

Inscritos: 9439651

% Votos brancos: 2,09%

% Votos nulos: 1,61%

% Votantes: 56,93%

% Abstenção: 43,07%


Fontes:

Lusa

Secretaria-Geral do Ministério de Administração Interna - Administração Eleitoral

Partilhar:
Comentários
Não existem comentários.
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Ficheiros
This website is ACAP-enabled