http://www.imprensaregional.com.pthttp://www.imprensaregional.com.pt/tvs
Diretor: Sérgio Silva | Última Atualização: 23-11-2017
logótipo
Publicidade
Edição:
Pesquisa:
Newsletter:
Área do Subscritor:
| Nacional
Novo Governo com novas caras e ministérios, mas oposição reafirma chumbo
27/10/2015, 23:24

O Presidente da República deu hoje acordo à proposta da constituição do XX Governo Constitucional, liderado por Pedro Passos Coelho, que inclui três novos ministérios, com a oposição a reafirmar que "tem os dias contados".

O novo Governo, que vai tomar posse na sexta-feira e vai ser composto por um vice-primeiro-ministro e mais 15 ministros, oito dos quais são novos, deverá ser chumbado pela maioria dos deputados no parlamento, com base nas reações dos partidos.

Segundo o PS, a proposta apresentada pelo primeiro-ministro indigitado, Pedro Passos Coelho, é "provisório" e "tem os dias contados".

O PCP referiu que a proposta de Governo é uma formalidade que acarreta instabilidade, reiterando a garantia que vai apresentar uma moção de rejeição ao seu programa.

O BE destacou que o Presidente da República colocou Portugal numa posição "constrangedora" de ver um executivo ser formado quando se sabe de antemão que o mesmo não será viabilizado.

O partido "Os Verdes" lamentou a "vontade" de PSD e CDS-PP prosseguirem a "lógica política" dos últimos quatro anos, reiterando a defesa de uma moção de rejeição ao programa do Governo.

Pelo contrário, para o PSD, o XX Governo mantém o "núcleo político essencial" do anterior executivo, como sinal de estabilidade política e aposta no papel dos Assuntos Parlamentares, tendo em conta o novo quadro parlamentar.

O CDS-PP referiu que a composição do Governo demonstra que é "uma equipa para quatro anos" e, sublinhou que, na aprovação do programa do executivo, confia que os deputados pensem por si próprios.

No novo Governo há oito novos ministro que são: João Calvão da Silva para a Administração Interna, Fernando Negrão para a Justiça, Miguel Morais Leitão para a Economia, Fernando Leal da Costa, para a Saúde, Margarida Mano, para a Educação e Ciência, Rui Melo Medeiros, para a Modernização Administrativa, Teresa Morais, para a Cultura, Igualdade e Cidadania, e Carlos Costa Neves, para os Assuntos Parlamentares.

Miguel Morais Leitão, Fernando Leal da Costa e Teresa Morais já eram secretários de Estado no anterior Governo de coligação PSD/CDS/PP.

Para além de Paulo Portas, mantêm-se em funções outros sete ministros do Governo cessante: a ministra de Estado e das Finanças, Maria Luís Albuquerque, o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, o ministro da Defesa Nacional, José Pedro Aguiar-Branco, o ministro da Presidência, e agora também e do Desenvolvimento Regional, Luís Marques Guedes, o ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva, a ministra Agricultura e do Mar, Assunção Cristas, e o Ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, Pedro Mota Soares.


Partilhar:
Comentários
Não existem comentários.
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Ficheiros
This website is ACAP-enabled