http://www.imprensaregional.com.pthttp://www.imprensaregional.com.pt/tvs
Diretor: Sérgio Silva | Última Atualização: 23-11-2017
logótipo
Publicidade
Edição:
Pesquisa:
Newsletter:
Área do Subscritor:
| Internacional
Syriza ganha eleições da Grécia
20/09/2015, 20:42


O partido de esquerda Syriza, liderado por Alexis Tsipras, ganhou as eleições gerais antecipadas celebradas hoje na Grécia, com 35,35% dos votos, segundo os resultados divulgados pelo Ministério do Interior, com base em 25% do escrutínio.

Os conservadores da Nova Democracia, liderados por Vangelis Meimarakis, obtiveram 28,14% dos votos.

Estas eleições antecipadas foram convocadas na sequência da demissão de Alexis Tsipras do cargo de primeiro-ministro, em 20 de agosto passado, depois de perder uma parte da sua bancada parlamentar devido a uma cisão de 25 deputados da ala mais à esquerda do partido, quando o parlamento grego aprovou um novo pacote de austeridade que Tsipras acordou com Bruxelas, recuando nas promessas de que iria acabar com a política de austeridade na Grécia.

Meimarakis admitiu a derrota logo após os primeiros resultados oficiais e congratulou Tsipras.

"Travámos esta batalha com seriedade. Parece que o resultado dá a vitória ao Syriza e a Tsipras. Felicito-o, o resto discutiremos a seguir", afirmou Meimarakis à comunicação social à sua chegada à sede do seu partido, perto do centro de Atenas.

Tsipras, que chegou à sede do Syriza com o braço levantado, em sinal de vitória, foi aclamado por uma multidão que se encontrava na rua.

Em terceiro lugar ficaram os neonazis da Aurora Dourada, com 7,26% dos votos, seguindo-se os socialistas do Pasok, com 6,44%, os comunistas do KKE, com 5,51% e o centrista To Potami, com 3,82%.

Os nacionalistas Gregos Independentes, parceiros do Syriza na coligação de governo, obtiveram 3,73% de votos e a União de Centristas, uma formação fundada há mais de duas décadas, mas que nunca obteve assento parlamentar, 3,51%.

Fora do hemiciclo parece ter ficado a recém-criada Unidade Popular, surgida de uma cisão do Syriza e liderada pelo ex-ministro Panayotis Lafazanis, com 2,80%.

O limite mínimo para aceder ao Parlamento situa-se nos 3%.

A adesão às urnas, com 25% dos votos contados, foi de 54,55%, a mais baixa registada desde sempre numas eleições nacionais, num país onde o voto é obrigatório.

Cerca de dez milhões de gregas estavam convocados para votar nestas segundas eleições antecipadas do ano, que decorreram sem incidentes.

Os colégios eleitorais abriram às 07:00 e encerraram às 19:00 locais (05:00 e 17:00 em Lisboa).


Partilhar:
Comentários
Não existem comentários.
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Ficheiros
This website is ACAP-enabled