http://www.imprensaregional.com.pthttp://www.imprensaregional.com.pt/tvs
Diretor: Sérgio Silva (tvs@sapo.pt) | Última Atualização: 24-07-2017
logótipo
Publicidade
Edição:
Pesquisa:
| Acelera
Mais rápidos em Lousada tiraram mais de quatro segundos aos tempos do Rally de Portugal 2016
18/05/2017, 23:49

Os dois pilotos mais rápidos da primeira classificativa do Rali de Portugal, disputada hoje no circuito de Lousada, tiraram mais de quatro segundos ao melhor tempo alcançado em 2016.
Mads Ostberg, em Ford Fiesta WRC, e Thierry Neuville, em Hyundai I20 WRC, completaram os 3,36 quilómetros da primeira classificativa em 2.36,6 minutos. O campeão do mundo Sébastien Ogier tinha sido o mais rápido em 2016, com o tempo de 2.41,1 minutos, então ao volante de um Volkswagen Polo. Hoje, o tetracampeão do mundo também melhorou o seu registo do ano passado em cerca de quatro segundos.
Um pequeno salto em terra batida colocado este ano em frente à zona com mais público era a principal alteração da pista face a 2016, podendo ter tido alguma influência na diferença de tempos em relação ao ano passado.
Já se sabia que os WRC de 2017 eram mais rápidos dos que os da geração anterior, sobretudo por serem mais potentes, mas as novas máquinas de fábrica não tinham ainda corrido em Portugal, a sexta prova do mundial deste ano.
Hoje, perante cerca de 15 mil espetadores (um pouco mais do que no ao passado), confirmou-se a grande expetativa que havia entre os aficionados dos ralis em Portugal. Além dos tempos mais rápidos, o espetáculo proporcionado pelos principais pilotos do mundial de ralis agradou aos espetadores, por terem um visual mais imponente, com apêndices aerodinâmicos maiores, e até pelo ruído mais intenso que produziam, traduzindo mais cerca de 80 cavalos face aos WRC de fábrica de 2016.
Os seis primeiros no troço de abertura do rali, três dos quais em Hyundai I20 WRC, ficaram todos no mesmo segundo, o que diz bem do equilíbrio que se tem observado no mundial deste ano.
Alguns dos principais pilotos enalteceram o ambiente da Costilha. No final, quando eram ouvidos pela organização, com declarações reproduzidas na instalação sonora da pista, houve vários a elogiar os espetadores que enchiam as bancadas.
"O ambiente é eletrizante. Estou contente e feliz por voltar", afirmou Craig Breen, um dos pilotos oficiais da Citroen.
Também satisfeito estava o autarca de Lousada, Pedro Machado, para quem a aposta do Município nesta prova "tem valido a pena", pela promoção que proporciona ao concelho e pelo retorno que tem gerado na economia local.
Este ano a autarquia ofereceu 1.700 bilhetes a jovens do ensino secundário do concelho para assistirem à superespecial da Costilha. À Lusa, o presidente da Câmara afirmou que aquela foi uma forma de divulgar os desportos motorizados entre os mais novos e assim garantir que, no futuro, os ralis continuarão a ser acarinhados em Lousada, como é tradição.
Na sexta-feira, a 51.ª edição do Rali de Portugal prossegue com oito classificativas, no Alto Minho, onde os pilotos vão percorrer duas vezes os renovados troços cronometrados de Viana do Castelo (26,7 km), Caminha (18,1 km) e Ponte de Lima (27,46 km), antes da ?Braga Street Stage' (1,9 km), ao início da noite.



Partilhar:
Comentários
Não existem comentários.
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
This website is ACAP-enabled