http://www.imprensaregional.com.pthttp://www.imprensaregional.com.pt/tvs
Diretor: Sérgio Silva (tvs@sapo.pt) | Última Atualização: 07-09-2017
logótipo
Publicidade
Edição:
Pesquisa:
| Modalidades
Pista de pesca desportiva reivindicada pela Aqui Del Rei (Caíde) perto de ser realidade
12/04/2017, 23:12

A Associação Cultural e Recreativa Desportiva 'Aqui Del Rei' (Caíde Rei, Lousada) pretende construir uma pista de pesca no Rio Sousa.
A coletividade, que se dedica à pesca desportiva, já tem este projeto há algum tempo, mas foi apenas apresentado em 2014, numa reunião na Junta de Caíde de Rei, surgindo agora novos desenvolvimentos. "Não podemos ser nós a construir a pista, isto tem que ser um projeto conjunto com o Município e a Associação Portuguesa do Ambiente para conseguirmos as licenças de construção. O último 'feedback' que obtivemos da Câmara foi que o projeto está no bom caminho e futuramente teremos esta infraestrutura no Rio Sousa, para ser desfrutada por todos os amantes da pesca e pelos lousadenses que gostem da natureza. O Rio Sousa merece", explicou Sérgio Santos, de 41 anos, presidente da ACRD 'Aqui Del Rei', elemento que integra a associação desde 1996, e escriturário de profissão.
A associação surgiu pelas mãos de um grupo de 'caídenses'. "Na freguesia há um elevado número de amantes da pesca que quiseram levar mais a sério este desporto de eleição. Então, formaram uma associação e federaram-na na Federação Portuguesa de Pesca Desportiva e, desde então, que praticam pesca de competição federada", revelou Sérgio Santos.
Atualmente a coletividade tem 12 atletas federados, com idades compreendidas entre os 16 e os 63 anos, que disputam a 1.ª Divisão de Clubes, sendo que um atleta disputa a 2.ª Divisão Nacional e um outro o Campeonato de Veteranos.
Estamos a falar de um desporto bastante dispendioso para quem o pratica e Sérgio partilhou um exemplo: "Uma cana de competição custa desde os mil e quinhentos euros, os gastos em deslocações são enormes, já sem falar dos iscos", frisou, abordando depois as maiores dificuldades da associação de que é líder. "As maiores dificuldades são as deslocações para as provas, visto que a maioria dos locais é para as zonas de Chaves, Aveiro, Cabeceiras Basto, Vila das Aves, Montemor e Alentejo. Sobrevivemos porque cada um de nós vai investindo o seu dinheiro, porque os subsídios não chegam para competir nestes campeonatos", destacou, terminando com uma mensagem. "Temos uma direção muito unida e temos esperança de colocar Lousada na rota da pesca de Competição Nacional", concluiu.


E. Leal


Partilhar:
Comentários
Não existem comentários.
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
This website is ACAP-enabled