http://www.imprensaregional.com.pthttp://www.imprensaregional.com.pt/tvs
Diretor: Sérgio Silva | Última Atualização: 23-11-2017
logótipo
Publicidade
Edição:
Pesquisa:
Newsletter:
Área do Subscritor:
| Magazine | Música | Espetáculos
John Newman rivaliza com John Legend no arranque do festival Marés Vivas
17/07/2015, 05:33


O Festival Marés Vivas arrancou quinta-feira em Vila Nova de Gaia com o jovem britânico John Newman a rivalizar com o cantor-compositor norte-americano John Legend no entusiasmo do público, em concertos que agregaram o coro de 30.000 entusiastas.

Quando se ouviram os primeiros acordes de "All of me", o penúltimo dos temas do espetáculo de John Legend, o nome mais forte da primeira noite, os timbres, predominantemente femininos, uniram-se no canto, que deixou o cantor várias vezes apenas entregue ao piano.

"O concerto foi ótimo. Maravilhoso. Bom ambiente. O concerto do John Legend superou todas as expectativas, pois tem uma voz fenomenal e ao vivo é fabuloso. Tem uma presença enorme", disse à Lusa Liliana Santos.

Além de "All of me", também "You and I" foi seguido pelas vozes que lotaram a praia do Cabedelo e que deixaram Legend - venceu um Óscar de Melhor Canção Original, pela pelo tema "Glory", do filme "Selma" - rendido à "gente bonita" que encontrou no Porto.

O amarantino Rui Pereira entende que "o espetáculo foi brilhante" e defende que John Legend tem uma "voz fabulosa", opinião partilhada por Nádia Campos que em novembro viu o norte-americano no Meo Arena e agora veio de Barcelos para repetir a experiência.

O britânico John Newman teve a responsabilidade de ‘aquecer' o ambiente, com um concerto pleno de energia e interação com o público, que teve neste espetáculo a sua melhor oportunidade da noite para dançar.

O single "Love me again", com o qual liderou o top inglês, foi apenas um dos temas de um espetáculo pop, soul e breakbeat, mais seguido pelo público mais jovem.

Pedro Freitas, de Viana do Castelo, elegeu este como o melhor concerto: "Estava à espera de mais de John Legend e menos de John Newman. Contava que o primeiro fosse mais comunicativo e afinal foi o contrário".

O palco principal abriu com os portuenses Blind Zero, que se estrearam no festival, que está na 13.ª edição, com a responsabilidade dos acordes de rock da noite.

O português Richie Campbell encerrou o espetáculo, atuando após Jonh Legend, conseguindo manter o público ativo e participativo.

O Meo Marés Vivas prossegue esta sexta-feira com um cartaz protagonizado Lenny Kravitz e os portugueses Buraka Som Sistema, e encerra sábado com as atenções centradas no programa internacional, com The Script e Jamie Cullum.

Os bilhetes diários para o festival têm o custo de 35 euros.


Partilhar:
Comentários
Não existem comentários.
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Ficheiros
This website is ACAP-enabled